Taças: Entenda as diferenças

Por . em 18/05/2020

Pode até parecer bobeira ou frescura, mas o tipo de taça faz toda diferença na hora de degustar um vinho. Além de existir razões bem específicas para as taças terem formatos e tamanhos distintos. Entenda a seguir:

A forma, o tamanho e até a espessura da taça são muito importantes para valorizar a bebida. Tanto os vinhos tintos, os brancos, os espumantes (e até a água) são servidos em taças que tenham a capacidade de valorizar o que cada bebida tem de melhor, potencializando a experiência de quem os consome.

Em um jantar formal as taças costumam já estar postas à mesa quando o convidado chega, juntamente com os talheres, guardanapos e pratos. Assim, pode ser um pouco complicado identificar qual taça deve ser utilizada para consumir cada bebida.

Nesse caso, é importante reparar em características específicas que variam entre as taças.

Primeiramente vamos conhecer a estrutura da taça. Entender de taças implica, primeiramente, em saber os elementos que compõem o objeto.

Bojo:

Pode se referir ao copo ou à parte mais alargada, a borda da taça. De maneira geral, é onde se serve o vinho.

Haste:

Parte alongada da taça, a que se utiliza para segurá-la. Entre o bojo e a base.

Base:

Estrutura de sustentação da taça.

Taças para vinho tinto:

Os vinhos tintos são servidos em taças com o bojo grande e hastes longas. Dessa forma, eles não esquentam rapidamente e adquirem mais espaço para respirar. Além disso, a taça do vinho tinto costuma ficar posicionada a direita da taça de água na mesa, em frente ao prato.

Taça Bordeaux

Com bojo grande e borda mais fechada, a taça Bordeaux é perfeita para a degustação de vinhos tintos encorpados e com muitos taninos, como Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah. Seu bojo grande favorece a evolução dos aromas, que ficam concentrados no interior, por causa da borda mais fechada.

Taça Borgonha

Conhecida por ter formato de “balão”, a taça Borgonha é projetada para os vinhos mais complexos, como por exemplo os vinhos Pinot Noir. O bojo, maior do que o da taça Bordeaux, permite maior contato com o ar, abrindo características mais profundas do vinho na taça.

Taça para vinho branco:

Taça Branco Padrão

Os vinhos brancos ficam melhor apresentados em taças com hastes mais alongadas e bojos um pouco menores, que os mantém na temperatura correta. Isso possibilita, também, que a bebida alcance mais as partes da língua que detectam acidez e doçura, marcantes nesse tipo de vinho. Essa taça fica posicionada à direita da taça de vinho tinto.

Taça para água:

Normalmente, a taça de água deve ser a maior da mesa, já que essa bebida pode ser consumida rapidamente e em grandes quantidades. Em jantares formais, ela sempre será a primeira taça da esquerda para a direita, posicionada centralmente, em frente ao prato.

Taças para vinho espumante:

Taça flûte

Do francês, “flûte” significa flauta. Isso porque o formato da taça realmente lembra o do instrumento musical. O formato é alongado e o bojo fino. Tudo para manter a elegância do “perlage” de um espumante, desde a hora de servir até o último gole.

Taça vintage

O nome “vintage” não é em vão. O termo faz referência ao estilo mais clássico de se beber espumantes. As taças vintage têm bojo baixo e muito largo. Apesar de bonitas, essas taças não ajudam na conservação do perlage do espumante, fazendo com que perca as borbulhas rapidamente.

Taça para vinho de sobremesa:

Taça vinho do porto

Seu bojo menor tem uma razão. O vinho fica em menor quantidade, e a mesma é mais estreita na parte superior para concentrar os aromas e para entregar a bebida na ponta da língua, região de percepção dos sabores doces.

Taça para degustação técnica:

Taça ISO

A taça ISO funciona como uma espécie de coringa, servindo para todos os tipos de vinho. Foi projetada pela Organização de Padrões Internacionais (International Standards Organization). A taça tem bojo médio, num formato alongado, arredondado e fechado na parte de cima, fazendo com que seja especialmente boa para a percepção de aromas. Apesar disso, é a taça mais utilizada para degustações técnicas.

Como vimos, existem regras formais que regem a disposição das taças em uma refeição de gala. O formato das taças tem até comprovação científica, buscando aprimorar sua experiência de sabor.

Ainda assim, fique à vontade para servir o vinho, o espumante e a água nas taças ou copos que tiver à sua disposição. Um vinho de boa qualidade não terá um gosto ruim se for servido em uma taça inapropriada, da mesma forma que um vinho “ruim” não será salvo pela taça ou pela harmonização certa.

Ficou claro a diferença entre as taças e como identifica-las em uma mesa de jantar? Agora é só colocar os conhecimentos adquiridos em prática e se surpreender!

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu E-mail para receber ofertas exclusivas