Por . em 17/03/2020

Se você ja leu ou escutou que um vinho é “macio”, tem “taninos equilibrados” e textura “aveludada” você provavelmente deve ter se perguntado se estão mesmo falando sobre vinho. E sim, estavam.

Esse vocabulário é muito usado por enólogos que usufruem desse e de outros adjetivos para analisar aspectos relacionados aos vinhos. Embora, pareça um tanto quanto complicado, existe, sim, uma lógica por trás desse vocabulário.

Afinal o que é tanino?

Tanino é um composto fenólico (um grupo de antioxidantes) que atua na defesa de uma planta ou fruto. Em contato com a saliva de um predador, as células vegetais da planta ou fruto liberaram os taninos, que dão aquela famosa sensação de ‘boca amarrada’ associada à adstringência, além de liberar um sabor amargo que espanta o predador. Você já deve ter sentido isso ao morder uma semente de uva, ou comer uma banana muito verde. Por isso que, em algumas degustações de vinho, escutamos o termo ‘taninos’ com frequência, designando o teor de adstringência da bebida como pouco ou muito tânica.

Os taninos do vinho podem vir das uvas (de suas cascas, sementes e caules) ou da madeira dos barris de carvalho.

Essa substância, quando presente no vinho, acrescenta amargor e adstringência, assim como complexidade e estrutura. É o elemento que faz a textura do vinho parecer seca, que o torna encorpado e estruturado. Entretanto, tanino demais pode tornar os vinhos duros, rudes, ou grosseiros. Um nível equilibrado de adstringência é um dos atributos sensoriais mais reconhecidos no vinho.

Vinhos feitos com uvas de casca grossa, como o Cabernet Sauvignon, são considerados muito tânicos e complexos, enquanto outros, como o Pinot Noir, feitos com uvas com cascas mais finas, são mais delicados e pouco tânicos.

Em excesso, evidentemente, os taninos podem deixar o vinho desagradável, daí a necessidade de “equilibrá-los” ou “amaciá-los”. Por outro lado, quando combinados com certos tipos de alimentos, eles contribuem para deixar tanto o prato quanto a bebida mais saborosos!

No quesito saúde, os taninos são excelentes para o nosso organismo, já que possuem propriedades antioxidantes.

Como detectar os taninos de um vinho?

Os taninos são percebidos pela nossa língua, especialmente na parte do meio e da frente e também pela gengiva. Muitas vezes, confundimos a textura dos taninos com a acidez do vinho, mas, embora a sensação inicial seja bem parecida para as duas características, há um jeito bem simples de diferenciar uma da outra:

  • A acidez faz com que você salive mais depois de engolir um vinho;
  • Já os taninos deixam sua boca com sensação de secura.

E aí, deu para entender o que são os taninos? Aproveite para colocar os seus conhecimentos em prática e garanta o seu vinho na www.imigrantesbebidas.com.br

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu E-mail para receber ofertas exclusivas