Harmonização com comida Japonesa

Por . em 16/12/2019

Tradicionalmente, a culinária japonesa nunca foi associada a harmonizações com vinhos. O saquê é sempre a bebida mais pedida quando o assunto é comida oriental. Quando não apenas um suco ou água. Para harmonizar vinhos e comidas japonesa com maestria, basta tomar alguns cuidados com alguns ingredientes que são os grandes vilões desta combinação.  

Atenção

Temos que ficar atentos a alguns ingredientes, que podem arruinar a harmonização se não tivermos uma certa cautela:

Gengibre: O gengibre é um dos ingredientes que mais dificultam a harmonização com vinhos. Por isso devem passar bem longe dos vinhos tintos, principalmente os encorpados, com muito tanino. Seu sabor e aromas intensos, e picante podem diminuir a percepção que temos da bebida. Portanto, prefira espumantes ou vinhos brancos que controlam a sensação de ardência desse alimento.

Molho Tarê:Também conhecido como ‘Molho Teriyaki ou Redução de Shoyu’, o Tarê é aquele molho doce e com certa textura que normalmente é colocado sobre o atum ou salmão grelhado. É quase impossível recusar o molho Tarê, porém, sua textura, intensidade e doçura podem cobrir todo o sabor leve e sutil de alguns vinhos.

Wasabi: Wasabi ou Raiz forte normalmente é oferecido em forma de pasta em uma quantidade bem pequena, justamente para que você não abuse do seu uso e deixe de sentir os sabores mais delicados dos pratos e das bebidas. Tempero verde e picante que interfere na percepção de sabores devido à sua característica de afetar as papilas gustativas.

Shoyu: Elaborado com os grãos fermentados de soja e salgados por salmoura, o Shoyu foi inicialmente criado para conservar alimentos, mas, por conta do sal presente em sua composição, este delicioso molho de sabor marcante e intenso pode amargar completamente o vinho, deixando uma sensação bem desagradável na boca.
Prefira vinhos com alto nível de acidez, para quebrar o salgado do molho por exemplo, pode ser uma boa ideia servir um vinho tinto mais ácido como Cabernet Sauvignon ou Malbec que ajuda a diminuir o forte sabor salgado desse ingrediente.

Porém a presença desses elementos não faz a gastronomia japonesa fugir à regra de que a bebida nunca deve se sobrepor ao sabor do prato, mas ressaltar as notas gustativas dele. Por isso, quanto mais leve forem os ingredientes, mais leve ainda deve ser o vinho.  

Pratos Crus: temaki, sushi e sashimi

Os sushis e sashimis, são os pratos mais tradicionais da culinária japonesa. enquanto o temaki já se tornou um prato consagrado para os brasileiros. Para combinar suas porções com os vinhos certos, opte por rótulos de espumantes jovens e delicados ou vinhos rosés. Assim eles não vão competir com o discreto sabor desses cortes de peixe. Os vinhos verdes também podem ser uma ótima opção!  

Pratos Quentes

Para pratos quentes o vinho tinto pode ser uma boa pedida. Para os apreciadores de yakisoba e lámen, vinhos elaborados com Malbec ou Merlot são a combinação ideal. Vinhos marcantes, porém não agressivos, sua tendência frutada provavelmente ressaltara com os deliciosos pratos.  

Pratos Fritos  

A culinária japonesa tem pratos feitos com peixes mais gordurosos  ou até com receitas mais cremosas ou fritas. Os guiozas, tempuras e hot rolls trazem um desafio de harmonização à parte já que são fritos, e exigem vinhos ácidos. De um modo geral, as frituras precisam de um vinho especial, por isso, vale harmonizar com um vinho branco de acidez mais elevada. O Sauvignon Blanc é uma boa pedida, visto que dá equilíbrio para a gordura desses pratos.  

A harmonização de vinhos e comida japonesa é simples e deliciosa, contudo apostando nos vinhos brancos, rose e nos espumantes, certamente o prazer só irá crescer, afinal, o melhor da harmonização são as surpresas que ela nos fornece.

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu E-mail para receber ofertas exclusivas